Febre amarela vacinal

Ministério da Saúde investiga mortes por febre amarela vacinal

Exames confirmaram que quatro mortes foram provocadas pelo vírus; noutras quatro ocorrências é apurada a possibilidade, ainda que pequena, da morte ter sido causada pela vacina

O Ministério da Saúde confirmou nesta quarta-feira (18) que oito mortes, de um total de 53 em investigação em Minas Gerais, foram provocadas por febre amarela. Dessas, quatro receberam confirmação para a febre amarela silvestre, provocada por vírus presente no meio rural. Nos outros quatro casos, a pasta investiga a possibilidade, embora baixa, de febre amarela vacinal, quando vírus presentes na vacina causam a doença.

"O quadro clínico de febre amarela vacinal e silvestre é muito semelhante e indistinguível", explicou o diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Eduardo Hage. Para que seja verificada a razão definitiva das mortes, é necessário analisar o histórico de deslocamento e o estado vacinal dos pacientes.

Atualmente, há 206 casos suspeitos da doença em Minas, sendo que 53 são considerados prováveis, conforme o último balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) – nesta terça-feira (17) eram 184 notificações. O número de óbitos suspeitos segue em 53. A pasta não comentou sobre casos confirmados.

Com Agências

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Escrito por Agências

Previsão do tempo