Redutores irregulares

 

 

DNIT encontra irregularidades em redutores construídos na BR-491

Quebra-molas foram instalados em dois trevos na entrada de Paraguaçu. Prefeitura foi notificada e tem prazo de até 10 dias para corrigir as falha

Técnicos do Departamento Nacional de Trânsito (DNIT) constataram irregularidades na construção de dois redutores de velocidade construídos na BR-491, em Paraguaçu (MG). De acordo com o departamento, a prefeitura já foi notificada e tem prazo de 10 dias para consertar e corrigir as falhas.

Os quebra-molas, como os redutores também são conhecidos, foram instalados para dar mais segurança aos motoristas que passam pela rodovia na altura dos dois trevos de entrada da cidade. Mas de acordo com o consultor de trânsito, Paulo Magno Resende, os redutores, que foram instalados, estão irregulares.

"Ele está com uma pintura longínqua, retilínea em cima do quebra-mola, enquanto teria que ser zebrada. Isso também confunde quem está transitando na rodovia", explicou Paulo Magno Resende.

Outro critério para a construção de redutores em rodovias é o tamanho. Segundo a resolução de nº 39 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) de 1998, ele deve ser da mesma largura da pista, ou seja, tem que ter 3,7 m para 10 cm de altura. A norma prevê ainda que redutores com 1,5 m de comprimento são destinados para vias locais. Nas rodovias, a medida deve ser de 3,75 m.

Configurações, que segundo o consultor de trânsito, se não forem cumpridas podem trazer prejuízos para os motoristas que passam pelo local. "O nome dele já diz, ele pode inclusive quebrar molas, estragar os amortecedores, pegar no fundo do cárter e até quebrar o cárter, além de provocar um acidente, que é o pior", disse Resende.

A prefeitura, que é a responsável pela obra, alega que as obras foram autorizadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (DNIT). "Foi mandado um projeto para o DNIT, foi aprovado através de ofício e foi feita a obra", disse o prefeito José Tibúrcio do Prado Neto.

O prefeito disse ainda que no documento de autorização, o DNIT se comprometeu a acompanhar a construções dos redutores. "A obra foi feita, agora a fiscalização eu não sei se eles vieram fiscalizar. Se por acaso tiver alguma anormalidade nos redutores, nós vamos cumprir as normas do DNIT que não foram cumpridas", explicou Neto.

Já o DNIT informou que para a construção de quebra-molas, não há necessidade de projeto a ser aprovado, mas que é preciso seguir as normas técnicas existentes, e que estas normas foram repassadas à prefeitura.

Com G1 Sul de Minas

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Escrito por G1 Sul de Minas

Previsão do tempo